fbpx
+55(19)3493-9220 | (19)3493-5576 | (19)3493-4429 | WhatsApp: (19)99548-0301| (19)99800-7902 contato@petmed.com.br
Protetores de Membros Pet Med

Protetores de Membros Pet Med

Há mais de 10 anos a Pet Med trouxe para o mercado as Roupas Protetoras Pós-Cirúrgicas, que impedem o pet de acessar curativos e lesões, como as de cirurgia de castração. A Pet Med é pioneira no segmento, e detém a patente do produto.

Roupa Protetora Pós-Cirúrgica

Uma substituição confortável e eficiente para o colar elisabetano, as roupas protetoras são anatômicas, flexíveis e produzidas com tecido de alta tecnologia. Muito mais do que a segurança, os produtos da Pet Med proporcionam verdadeiro conforto para o animal, o que favorece a recuperação. Contém proteção UV, tecido dry com secagem rápida e tecnologia antimicrobiana, um revestimento que impede o crescimento de fungos e bactérias. Saiba mais sobre essa tecnologia aqui.

Essa mesma tecnologia e cuidado foi aplicado nos Protetores de Membros, para que a recuperação seja mais confortável e mais tranquila para o pet. Os protetores devem ser utilizados sob indicação veterinária.

São especialmente interessantes em casos em que o pet precise ficar imobilizado e não possa colocar a roupa protetora, ou para evitar sujidades no local e nas bandagens, uma vez que o protetor pode ser removido, lavado, seca rápido e pode ser reutilizado, ao invés de refazer todo curativo.

Importante respeitar todas as orientações do médico veterinário no processo de recuperação.  

Conheça algumas de nossas opções de protetores:

Indicados para proteger lesões, curativos e talas nos membros posteriores, cobre toda extensão dos membros com exceção das patas.

Especialmente desenvolvida para ferimentos na região do jarrete até a parte de cima da pata, a Polaina Protetora Pet Med tem fechamento em velcro para não apertar e não escapar do corpo. <

Protetor de Higroma

Eficientes na proteção para calos de apoio e higromas, são indicadas para prevenção de lesões que podem evoluir para escaras e necroses em animais de grande porte, obesos, ou que tiveram trauma no local. O protetor é acolchoado e não é indicado para uso pós-cirúrgico.

Proteção anatômica e flexível para lesões, curativos e lambeduras nos membros da frente.

Em caso de ferimentos na região do pescoço, uma alternativa confortável ao curativo com faixas em formato de X ou colar elisabetano, com malha respirável, tecido leve e anatômico, que não impede os movimentos.

E nos casos de necessidade, a opção do Colar Conforto, que é dobrável, permitindo que o animal se deite e se alimente durante esse período de recuperação e continue protegido.

Importante: todos os produtos disponibilizados pela Pet Med devem ser utilizados sob indicação de um médico veterinário.

Para saber mais, entre em contato com a gente!

Live com Jorge Vercillo dia 31/07 às 19h30 #Somostodospelosanimais

Live com Jorge Vercillo dia 31/07 às 19h30 #Somostodospelosanimais

O cantor Jorge Vercillo fará live em prol dos animais, às 19h30, na noite do dia 31 de julho, – data em que se comemora o Dia do Vira-Lata. A campanha “Somos todos pelos animais” dará início à uma série de outras ações de arrecadação para instituições de proteção, dentre elas, o Beco da Esperança, de Curitiba, que abriga mais de 450 gatos e 80 cães.

De acordo com o artista, que cedeu o seu show para o evento, a pauta ambiental é, hoje, prioritária no planeta. A ação é um desdobramento do projeto que surgiu em 2005, com a música “Em que tudo é belo”, que dá nome ao segundo CD do artista.

A live será transmitida simultaneamente por cinco canais voltados para a causa animal no Facebook e Youtube. A idealizadora do projeto, a jornalista Pauline Machado, afirma que às ações sempre tiveram como foco levar ao público: informação, música e solidariedade.

Durante a transmissão o público poderá fazer doações através do QRcode beneficiando duas instituições: o Beco da Esperança e o Santuário do Brasil, um conjunto de oito santuários que juntos, abrigam mais de 1.000 animais, dentre eles primatas, ursos, elefantes, grandes felinos, aves e tantos outros selvagens e exóticos.

Serviço:
Live Somos todos pelos animais com Jorge Vercillo
Data: 31/07/2020 (Dia do Vira-Lata)
Horário: 19h30

Transmissão pelo Facebook

Canal de Estimação – https://www.facebook.com/canaldeestimacao
Beco da Esperança – https://www.facebook.com/becodaesperanca.org
Rancho dos Gnomos – https://www.facebook.com/RanchoDosGnomos
Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal – https://www.facebook.com/ForumAnimal Proteção Animal Mundial – https://www.facebook.com/ProtecaoAnimalMundial

Transmissão pelo Youtube

Canal de Estimação – https://www.youtube.com/channel/UCAaihxScuzlORiDkmKC2Xvw Rancho dos Gnomos – https://www.youtube.com/user/asergoficial
Proteção Animal Mundial – https://www.youtube.com/user/WSPAbrasil

Pet Med & Strix: Excelência no Cuidado com os Pets

Pet Med & Strix: Excelência no Cuidado com os Pets

A Dra. Vanessa Ferraz e o Dr. Carlos Souza, médicos veterinários referências mundiais, contam porque usam e recomendam as roupas protetoras pós-cirúrgicas Pet Med.

Acompanhe no vídeo também um pouco da rotina desses profissionais da Clínica Strix, um centro de excelência em Medicina Veterinária.

Com centro cirúrgico, internação, laboratório clínico, banco de sangue e uma variedade de especialistas e equipamentos de última geração, a Strix está preparada para atender qualquer necessidade do seu pet. Além disso, a Strix oferece ainda cursos de especialização para veterinários.  

Assim como a Pet Med, a prioridade na Clínica Strix é o cuidado com os pets, usando o que existe de melhor no mercado em termos de tecnologia e inovação. Conheça mais sobre esse centro de referência em tratamento animal.

Acompanhe no vídeo abaixo:

Pet Med & Strix: Excelência no Cuidado com os Pets

No nosso canal no YouTube, você também acompanha outros vídeos com dicas, mais informações sobre nossos produtos e clínicas parceiras.

Universidade Federal de Uberlândia avalia eficiência de máscaras

Universidade Federal de Uberlândia avalia eficiência de máscaras

Testes em 15 materiais mostraram capacidade de filtrar ou não aerossóis que carregam contaminantes

Se puder, não saia de casa; mas se sair, use máscaras. A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) para evitar a disseminação do novo coronavírus modificou a nossa rotina, mas será que toda máscara protege de verdade? Para responder a essa pergunta, os professores Maurício Foschini e Adamo Ferreira Gomes do Monte, do Instituto de Física da Universidade Federal de Uberlândia (Infis/UFU), avaliaram a eficiência de 15 tipos de máscaras. Os testes foram feitos durante a última semana, no Laboratório de Imagem e Fotônica, no Campus Santa Mônica.

O estudo ainda não foi publicado em periódico científico, mas, segundo os pesquisadores, os testes revelaram que as máscaras N95, as cirúrgicas e as de algodão são as mais eficientes. Embora o filtro de papel tenha apresentado boa retenção de partículas, seu uso não é indicado para prevenir a Covid-19, porque a vedação lateral da máscara feita com esse material é ruim e a umidificação é rápida.

Até o momento, a ciência considera que o coronavírus pode “flutuar” por meio de aerossóis, que são partículas muito pequenas que ficam suspensas no ar, como as gotículas de saliva. Por isso, as máscaras podem evitar a propagação do vírus. “Acredita-se que, bloqueando o aerossol, você bloquearia a maior parte dos contaminantes, porque o contaminante precisa de um veículo”, explica o professor Monte.

Para testar quais máscaras conseguem fazer esse bloqueio efetivamente, os pesquisadores da UFU produziram, em laboratório, um fluxo constante de aerossol, utilizando uma máquina (um nebulizador piezoelétrico), e observaram a propriedade de espalhamento de luz desse aerossol. 

Os cientistas fotografaram as micropartículas antes da máscara, atravessando a máscara e depois da máscara. As imagens foram coletadas e gravadas em um laboratório de imagem. Os físicos processaram essas imagens e obtiveram a quantidade de partículas por milímetro quadrado. A partir disso, eles elaboraram uma tabela, classificando os tipos de máscaras de acordo com a de proteção, desde a eficiência “muito alta” até a “muito baixa”. Confira abaixo.

Fonte do estudo no link: Comunica Ufu

As máscaras da Pet Med são produzidas com duas camadas de algodão 100%. Conheça mais detalhes aqui: https://bit.ly/MascaraPetMed 

Entrevista com o Instituto Pet Brasil

Entrevista com o Instituto Pet Brasil

A Pet Med agora é associada ao Instituto Pet Brasil, que lidera projetos de fomento e inovação no mercado pet brasileiro.

Nós conversamos um pouco sobre mercado pet, inovação e o papel da instituição no desenvolvimento do setor, com a Martina Campos, diretora-executiva do Instituto Pet Brasil. Acompanhe!

Como surgiu o Instituto Pet e com qual objetivo?

O Instituto Pet Brasil (IPB) nasceu em 2013. O principal propósito da entidade é gerar informação para atender os diferentes elos da cadeia: o comércio de produtos e serviços para animais de estimação, segmentos como hospitais e clínicas veterinárias até o dono do pet. Desta forma os agentes que atuam no setor estarão cada vez mais aptos e profissionalizados.

Para isso, lideramos projetos de qualificação profissional, fomento a novos negócios e o empreendedorismo, além de disponibilizar ferramentas que estimulam a posse responsável. Entendemos que nosso setor mais forte significa melhorar ainda mais a relação entre seres humanos e seus animais de estimação, ligação que, comprovadamente, é benéfica para ambos.

Hoje, como é a estrutura do IPB?

O IPB atua estrategicamente nas áreas de relações institucionais, inteligência de mercado, eventos e qualificação profissional. Além de disponibilizar ferramentas para o dono do pet.

Quais os projetos em que o IPB está engajado em 2020?

Além de rodadas de negócios como a International Pet Meeting, estamos dando continuidade ao RG Pet, cadastro nacional e gratuito para animais de estimação e seus possuidores, e atividades como os workshops do PDI Pet. Essas oficinas acontecem ao longo de todo o ano, e todas as informações estão disponíveis no site do Projeto Setorial Pet Brasil em parceria entre a Apex-Brasil – Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos e o IPB.

O International Pet Meeting acontece dentro da feira SuperPet, com palestra no dia 15 de abril e rodada de negócios no dia 16 de abril, em Campinas (SP).

Este ano também estamos dando início à campanha Criador Legal, junto de outras entidades. A largada será dada agora em março. É uma iniciativa que defende o bem-estar dos animais de estimação, do nascimento até a educação para a posse responsável de pets pelas famílias.

As primeiras ações acontecem em março, junto da Anclivepa Brasil – Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais, CBKC – Confederação Brasileira de Cinofilia, COBRAP – Confederação Brasileira de Criadores de Pássaros Nativos, FOB – Federação Ornitológica do Brasil e da Abinpet.

O que é a Abinpet e qual a relação do Instituto Pet com esse órgão?

A Abinpet é uma entidade parceira que existe há quatro décadas, e que congrega informação e serviços para as indústrias do setor pet. Então suas funções são complementares, já que o Instituto Pet Brasil reúne dados dos segmentos de varejo, clínicas veterinárias e outros prestadores de serviço. Dessa forma, o banco de dados do IPB recebe informações da Abinpet, e as duas entidades atuam de forma complementar. Historicamente, a Abinpet apoiou a criação do Instituto Pet Brasil.

Como enxergam a mudança da mentalidade Pet friendly e Fear Free Pet no Brasil nos últimos 10 anos?

Sem dúvida houve um boom no que diz respeito à compreensão de que os animais podem ser realmente membros da família, e nesse cenário, as famílias procuram mais e melhores produtos para seus pets. Isso é positivo porque também está relacionado à ideia de posse responsável. Os possuidores de animais de estimação estão mais conscientes em relação aos custos e necessidades envolvendo os animais.

Por exemplo, o custo médio para cães pequenos – de até 10 kg – é de R$ 274,37. Para cães de porte médio (de 11 kg a 25 kg) o custo médio é de R$ 326,98. Para cães de porte grande (de 26 kg a 45 kg), o custo médio é de R$ 425,24. Para os felinos, o cálculo para gatos adultos é de cerca de R$ 205,94 mensais.

Poderiam nos dizer se já houve organização e mudança no cenário Brasil Pet, desde a fundação do Instituto Pet Brasil?

Observamos que nesses sete anos desde a fundação do IPB, serviços, estabelecimentos e produtos para pets estão cada vez mais populares. Por isso, apps para celulares estão facilitando a contratação de serviços como dog walkers, pet sitters, creches e hotéis. Temos observado surgimento de negócios como padarias pets e a aceitação dos animais em cafés, bares e até hotéis que aceitam hóspedes humanos juntos de seus animais.

Isso ajuda a movimentar um setor de mais de R$ 35 bilhões, e que é o segundo maior mercado do mundo, atrás somente dos Estados Unidos. O mercado pet brasileiro está na frente de potências econômicas como Alemanha, França, Reino Unido, entre outras.

Qual a importância e como é possível uma empresa tornar-se um membro do IPB?

O IPB oferece uma série de oportunidades de interação entre interessados no bem-estar dos pets, desde os donos até empresas interessadas no setor. Para tanto o Instituto desenvolve conteúdo de inteligência de mercado. Entre eles estão estudos, rodadas de negócio, treinamentos, além de ferramentas como o PDI Pet que analisa as companhias de acordo com o grau de maturidade e aponta quais os próximos passos para crescer e se destacar em seus segmentos.

As empresas podem participar também do já mencionado Projeto Setorial Pet Brasil, que abre as portas do comércio exterior para os participantes.

Por último, deixamos o convite para que nos sigam nas redes sociais!

instagram.com/institutopetbrasil/

www.facebook.com/InstitutoPetBrasil/

www.linkedin.com/company/institutopetbrasil

Open chat
Fale Conosco pelo Whatsapp
Olá, precisa de ajuda? Fale Conosco pelo Whatsapp