fbpx
+55(19)3493-9220 | (19)3493-5576 | (19)3493-4429 | WhatsApp: (19) 99798-2389 contato@petmed.com.br
Select Page

Por Pauline Machado

O dia a dia com cães e gatos é muito mais feliz, no entanto, requer muita atenção, pois, podem acontecer alguns acidentes e os seus familiares precisam saber o que fazer, caso os pets precisem de primeiros socorros.

Para saber como agir em casos de emergências, conversamos com a Médica Veterinária Liana Barreto Dantas, portadora do CRMV/CE 1191. 

Acompanhe, pois, as orientações são preciosas!

Pet Med – O que podemos entender por primeiros socorros?

Liana Barreto Dantas – Podemos entender como primeiros socorros aqueles pré-atendimentos que conseguimos fazer em casa, mesmo pelos familiares, sem ter profundo conhecimento técnico da medicina.

No entanto, vale ressaltar que os primeiros socorros são apenas para tirar o enfermo do risco, que em seguida, deve ser levado imediatamente até o hospital veterinário mais perto possível. O intervalo entre o primeiro atendimento em casa até o atendimento especializado deve ser menor possível. 

Ressalto ainda, que deve ser levado a um hospital 24h por ter mais recursos do que uma clínica. Após estabilizado, aí sim, o animal deve ou poderá, de acordo com parecer do veterinário responsável pelo atendimento, ser transferido para dar continuidade ao tratamento pelo médico veterinário da família, que já atende o pet, que seja confiança da família, mas, na hora da emergência, a recomendação é ir até o hospital mais próximo para ter os primeiros atendimentos.

Pet Med – Como identificar uma situação de urgência e emergência em casa com os pets?

Liana Barreto Dantas – Não há receita para isso, o mais importante é que os familiares que moram com os pets estejam sempre observando e interagindo com eles, para que assim, consigam identificar o mais rapidamente possível qualquer sinal de anormalidade.

Pet Med – Quais são as situações emergenciais mais comuns, no dia a dia com cães e gatos?

Liana Barreto Dantas – No dia a dia as situações mais comuns que permitem agir com práticas de primeiros socorros são intoxicações, atropelamentos, feridas, ingestão de corpo estranho que resultem em engasgos, quedas, vômitos, diarreias, dificuldades para respirar, convulsões, entre outras.

Pet Med – Qual deve ser a primeira conduta diante de um animal passando mal?

Liana Barreto Dantas – Primeiramente é importante que os familiares se mantenham calmos para que possam agir rapidamente e racionalmente para ajudar o pet. 

Quanto à conduta a ser adotada dependerá da enfermidade. Por exemplo, no caso de intoxicação ou envenenamento seria importante tentar descobrir o que o pet pode ter ingerido, a quantidade e há quanto tempo houve a ingestão. 

Se houver vômitos, tire foto ou recolha um pouco da amostra para levar para avaliação do Médico Veterinário. Na maioria dos casos de intoxicação, é administrado carvão ativado, pois, ajuda a reduzir a absorção da toxidade pelo organismo. Então, com o produto que seja próprio para cães e gatos em mãos, siga as orientações prescritas na bula. Em hipótese alguma tente provocar o vômito do pet, pois, pode causar engasgo e/ou piorar o quadro do animal.

Em casos de ferimentos, lave a região afetada com água corrente para diminuir o risco de infecções e em seguida com soro fisiológico. Depois, com um pano limpo e de preferência que não seja áspero como as toalhas, pressione a região lesionada a fim de manter o local seco e de controlar a hemorragia até chegar ao hospital 24 horas mais próximo.

Em casos de queimadura, não faça nada diferente de apenas cobrir a região com pano leve, limpo e úmido, de modo que não cole, não grude na ferida. Uma vez coberta a região, corra para o hospital veterinário 24horas mais perto.

Se o pet tiver sofrido quedas ou fraturas, tente imobilizar a região até mesmo com papelão e atadura, até chegar ao médico veterinário. Se for fratura exposta, apenas cubra delicadamente com pano limpo não abrasivo e leve-o imediatamente ao hospital veterinário 24h. Em hipótese alguma tente colocar o osso no lugar.

Se o pet estiver engasgado, a recomendação é abrir a boca e tentar retirar com o dedo o objeto que estiver causando o engasgo. Caso ele tente morder, tente dar alguns tapinhas de leve, mas, precisamente, nas costas, ali pela altura das patas dianteiras a fim de ajudar a expulsão do objeto. Se for um gato ou um cão de pequeno porte, tente segurá-los pelas patas da frente direcionando a cabeça para baixo e sacudindo com delicadeza até que o objeto possa sair pela boca. 

Se for linha, não puxe em hipótese alguma, pois, alguns órgãos podem estar enrolados pelo fio e ao puxar, você poderá piorar o quadro e até levar o animal ao óbito. Neste caso, leve imediatamente o pet ao hospital veterinário 24 horas mais próximo.

Pet Med – E o que não deve ser feito em hipótese alguma? Por quais motivos?

Liana Barreto Dantas – A principal coisa que não se deve fazer, em hipótese alguma é medicar o animal sem prescrição médica, pois, alguns medicamentos, sobretudo de uso humano, podem ser tóxicos aos pets, sem falar na questão da falta de conhecimento pelo tutor sobre a dose ideal a ser administrada.

É importante saber também que em feridas não se usa álcool, desinfetantes ou qualquer outro produto que não seja soro fisiológico, assim como os olhos, que devem ser limpos somente com gaze embebecida de soro fisiológico e nunca por água boricada ou outro tipo de produto. Nem com algodão, pois, os fios podem causar inflamação ocular.

Os tutores devem evitar remover corpos estranhos perfurantes, como pregos, vidros ou algo do tipo. Nesses casos, o animal deve ser levado imediatamente até o hospital veterinário 24horas mais próximo.

Evitar manusear e fazer movimentos bruscos em casos de queda, situações de atropelamentos ou fraturas, também é uma das coisas que os tutores nunca devem fazer em casa sem a presença de um médico veterinário.

Pet Med – Por fim, quais devem ser os cuidados em casa para que tais situações não aconteçam?

Liana Barreto Dantas – Quem tem pet em casa é como se tivesse crianças em casa, então, é importante ter um kit de primeiros socorros sempre a postos. Por isso, recomendo sempre ter em casa:

Termômetro digital, de preferência com ponta flexível, atadura, gaze, algodão, esparadrapo, microporo, ampolas de soro fisiológico, tesoura sem ponta, cortador de unhas próprio para pets, seringa de 3ml, sabonetes ou solução antisséptica próprio para pets, cotonetes, luva de látex, se possível pinça de cabo longo, sabonete neutro sem perfume, lenço umedecido sem fragrância e carvão ativado próprio para cães e gatos, desde que siga as recomendações do fabricante. Esses são alguns itens fundamentais para ter em casa para os casos que seja preciso fazer um primeiro socorro no pet em casa.

Acompanhe nosso Instagram

Acompanhe dicas, novidades e lançamentos em nosso Instagram, te esperamos por lá também 🙂

Compartilhe conosco seus pets com nossos produtos , marque nosso @petmed.

Nossos Produtos:

Open chat
1
Fale Conosco
Podemos te ajudar? Fale Conosco