fbpx
+55(19)3493-9220 | (19)3493-5576 | (19)3493-4429 | WhatsApp: (19)99548-0301| (19)99800-7902 contato@petmed.com.br

Por Pauline Machado

O mês de outubro é dedicado, entre outros, às comemorações do Dia das Crianças e, também, ao Dia Mundial dos Animais.

Para entender os benefícios da relação entre as crianças e os animais, nós conversamos, com exclusividade, com a Psicóloga Comportamental e Treinadora de cães, Joyce Hashimoto.

Acompanhe!

PetMed – Para as crianças, quais são os benefícios e os aprendizados adquiridos com o convívio com os animais?

Joyce Hashimoto – É comprovado cientificamente que crianças que convivem com cães desde o primeiro ano de vida, têm seu sistema imunológico fortalecido, o que ajuda a combater doenças como dermatite, alergia, ou infecção respiratória. Além de reduzir o estresse e ansiedade, pois, ao acariciar o cachorrinho, também foi comprovado queda dos níveis de cortisol, principal hormônio ligado ao estresse.

Um cãozinho será sempre uma companhia e manterá a criança ativa, em constante atividade física. Eles irão brincar e se exercitar bastante. O que tornará essa criança, ativa, de forma a ajudar no desenvolvimento respiratório, muscular e equilíbrio, pois tende a seguir o cão enquanto ele anda pela casa.

As crianças que convivem com animais, também aprendem desde cedo o afeto, respeito, responsabilidade e cuidado com o outro.

“É comprovado cientificamente que crianças que convivem com cães desde o primeiro ano de vida, têm seu sistema imunológico fortalecido.” Joyce Hashimoto


PetMed – E para os animais? Quais são os privilégios do convívio com as crianças?

Joyce Hashimoto – Os cães são seres sociáveis, assim como nós humanos, e adoram conviver em companhia.
Quando se tem uma criança na família, o cãozinho cresce com um grande companheiro para brincadeiras e diversão, que é tudo o que o cãozinho mais gosta de fazer. Isso irá manter seu cachorrinho entretido e ativo, longe do tédio, que pode levá-lo a outros problemas de comportamento como por exemplo a depressão e obesidade por sedentarismo.

A Escolha do Pet

PetMed – Quais são os cuidados que os pais devem ter para que o convívio dos pets com as crianças seja benéfico para toda a família, incluindo o pet?

Joyce Hashimoto – É importante que a família faça a escolha certa da raça do cão. Uma família que tem uma rotina agitada, que goste de atividades físicas mais intensas, o ideal é que tenham um cão com energia alta, como o Labrador.
Uma família mais tranquila, o ideal é que se tenha um cãozinho com menos energia, que não tenha uma demanda alta de exercícios físicos, como o Shih Tzu ou lhasa Apso, por exemplo.

Em seguida, é necessário que o cãozinho seja educado para que entenda que precisa seguir algumas regras dentro de casa, como não pular ou brincar de morder a criança, pois esses comportamentos apesar de serem uma forma de brincadeira, podem acabar arranhando e machucando sem querer, a criança. Para isso, consulte sempre um adestrador, ou comportamentalista canino.

“Os cães são seres sociáveis, assim como nós humanos, e adoram conviver em companhia.” Joyce Hashimoto

Vale ressaltar que os cães sem raça definida (SRD), conhecidos como Vira-Latas, também podem ter personalidades e ritmos diferentes. Pode ser que seja mais difícil identificar a personalidade e o ritmo de um SRD filhote, mas os adultos geralmente já têm essa questão bem definida.

Da mesma forma, os pais devem ensinar as crianças a respeitar os cães, pois algumas atitudes podem machucar o bichinho. O ideal é que os pais supervisionem a brincadeira entre eles e se certifiquem que tudo está bem. 

Adaptação Crianças e Animais

PetMed – Como deve ser feita a adaptação no caso dos lares em que o pet já faz parte da família e a criança chega depois?

Joyce Hashimoto – A chegada de um novo membro na família pode causar ansiedade ao cãozinho. Portanto, antecipe-se e assim que o neném nascer, pegue uma roupinha usada por ele e leve para casa, deixe na caminha do pet, ou próximo ao potinho de comida dele, assim ele irá sentir o cheirinho do bebê e ir se acostumando.

É muito comum que, com a chegada do bebê, a família passe a dar menos atenção ao cachorrinho, sendo assim, quando criança chegar, faça com que o cão tenha bastante associações positivas, como por exemplo oferecer-lhe petiscos e carinho na presença da criança, para que ele entenda que não precisa ter ciúme e disputar atenção de seus tutores com o bebê.

PetMed – E, ao contrário, no caso em que a família já está constituída e o pet chega depois? Quais devem ser os cuidados para que essa integração seja benéfica para todos os envolvidos?

Joyce Hashimoto – Novamente é importante ressaltar que a família deve pesquisar bem sobre a escolha da raça do cãozinho, ou do comportamento do seu vira-lata de estimação, quando for adotá-lo, para saber se o perfil se adequa as necessidades e rotina deles.

O ideal é que o cãozinho seja adestrado para que aprenda as regras básicas para o bom convívio com a família. Um cão que entende as regras e sabe se comportar, seja ele de raça ou SRD, é mais bem-vindo e acaba interagindo muito mais com as pessoas.

Prepare a criança para receber o cãozinho e ensine-a que precisa ter cuidados com o novo membro da família. 

Cuidados com Pet

PetMed – Quantos os cuidados com a saúde – tanto do pet quanto das crianças, quais são os protocolos a serem seguidos pelos tutores a fim de proporcionar uma boa qualidade de vida para as crianças e seus pets?

Joyce Hashimoto – Leve o cãozinho ou o gatinho de estimação regularmente ao veterinário e certifique-se que está saudável.

Também é necessário manter as vacinas e vermifugação em dia. A higiene bucal é importante para que não haja tártaro e proliferação de bactérias pelo organismo do animal. Então, escove frequentemente os dentes do cãozinho ou do gatinho, com escova e pasta próprias para pet, sempre sob orientação do Médico Veterinário.

Manter o ambiente, comedouros e bebedouros sempre limpos, para evitar bactérias e parasitas, também é fundamental. 

Prepare a criança para receber o cãozinho e ensine-a que precisa ter cuidados com o novo membro da família. “Joyce Hashimoto, Psicóloga Comportamental e Treinadora de cães.

PetMed – Para terminar, a pergunta que todos nos fazem: faz mal dormir com os pets, beijar os pets? Por quais motivos?

Joyce Hashimoto – Se seu cão ou gato está com a saúde em dia, dormir com ele é uma prática super saudável.

No entanto, vale ressaltar que, para que seja legal, tutor e pets precisam estar confortáveis e devem conseguir dormir tranquilamente, sem que o cão ou o gato acordem seu tutor durante a noite, ou que ambos fiquem encolhidos e não consigam descansar adequadamente.

Quanto a beijar os pets, tanto os animais, quanto o humano, podem passar alguma bactéria um para o outro e causar algum problema de saúde, a exemplo se o indivíduo estiver com parasitas como a giárdia, que pode ser passado através da saliva. Caso a pessoa decida pela prática de beijar seu pet, mantenha em dia a higiene bucal de ambos, com visitas regulares ao dentista e veterinário

Acompanhe notícias e novidades do mundo pet, siga nosso instagram.